Como funciona o frete marítimo e quais seus tipos? Descubra neste artigo!

6 de julho de 2022

Para que a sua operação de importação ou exportação seja bem-sucedida, conhecer os modais de transporte é essencial. No Brasil, o principal modal utilizado é o frete marítimo, por isso, conhecer a fundo essa modalidade é fundamental, afinal, ela possui algumas vantagens sobre os demais.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o que é o frete marítimo, como ele funciona, seus tipos e tarifas? Continue a leitura do nosso artigo e descubra.

 

O que é o frete marítimo?

O transporte de mercadorias pelo mar, em navios, é um dos modais mais utilizados para importação e exportação em todo o mundo. Isso se dá a sua capacidade de transportar todo tipo de produto, desde grãos e cereais até máquinas e equipamentos industriais.

Outra grande vantagem desse tipo de transporte é o seu custo, que chega a ser até 10 vezes menor do que o frete aéreo. No entanto, ele acaba sendo mais demorado, levando cerca de 2 meses a depender do país de origem e destino das mercadorias.

Além disso, a carga passará por um maior número de etapas para ser transportada e ficará mais tempo sem que o importador possa acessá-la. Ou seja, não é possível ter certeza que está tudo correndo bem até que a carga de fato chegue.

 

Quais os tipos de frete marítimo?

Ainda que existem diversos tipos de frete internacional marítimo, os mais populares são feitos em:

  • contêineres cheios, conhecidos como Full Container Load (FCL);
  • contêineres parciais, nos quais um consolidador junta diversos importadores em um único contêiner, chamado de LCL (Less than a Container Load);
  • break bulks, que são navios específicos para carregamento de cargas soltas.

Os navios de contêineres são os mais comuns no mundo e atendem rotas específicas já determinadas, com saídas frequentes, normalmente semanais.

Por sua vez, os navios break bulk existem em menor número, podem ter suas rotas ajustadas inclusive durante a viagem para atender um caso específico. É importante mencionar que eles têm capacidade de transportar cargas grandes, enquanto os porta-contêineres até conseguem, mas ficam limitados à capacidade dos baús de metal.

 

Termos mais utilizados no frete marítimo

Para entender a fundo o funcionamento do frete marítimo, é preciso conhecer os termos específicos desse tipo de operação. Confira alguns a seguir:

  • Ad-valorem: é o percentual que recai sobre o valor do frete FOB (free on board) da mercadoria. Geralmente é aplicado quando o valor ultrapassa US$1000,00 a tonelada. Ele pode substituir o frete básico ou complementar seu valor;
  • Sobretaxa de combustível (bunker surcharge): valor percentual aplicado sobre o frete básico, destinado a cobrir os custos com o combustível;
  • Taxa para volumes pesados (heavy lift charge): valor de moeda atribuído às cargas cujo volume individual ultrapassa 1500 kg. Afina, esse tipo de produto requer condições especiais de embarque e desembarque ou acomodações no navio;
  • Taxa para volumes com grandes dimensões (extra length charge): aplicada em mercadorias que tenham grandes comprimentos, normalmente superior a 12m;
  • Sobretaxa de congestionamento: recaí sobre o frete básico em portos onde há uma demora na atracação dos navios;
  • Fator de ajuste cambial (CAF – currency adjustment factor): utilizado para moedas que se desvalorizam rapidamente frente ao dólar americano;
  • Adicional de porto: taxa cobrada quando a mercadoria tem como origem ou destino algum porto secundário ou fora da rota.

 

Como realizar a cotação do frete marítimo?

Assim como qualquer orçamento, uma cotação é uma estimativa de valores que pode alterar caso a carga transportada seja diferente da cotada. Por isso, o agente de cargas, especialista no assunto, precisa ser munido de todos os detalhes possíveis a respeito da carga.

Na hora de calcular, algumas informações precisam ser levadas em consideração, como:

  • Origem e destino da carga;
  • Peso e dimensões: Ainda que não se tenha o valor final, pode ser usado um valor aproximado ou igual a um processo que já tenha sido feito no passado;
  • Valor da carga: Diversos armadores possuem restrições para cargas de alto valor agregado;
  • Incoterm para saber se o frete será pago na origem ou destino;
  • Necessidade da carga no destino com a informação de quando você precisa, o agente de cargas poderá te orientar melhor, inclusive, oferecendo soluções alternativas diante da urgência.

Como você pode perceber, o processo de cotação do frete marítimo, assim como o seu uso, é bastante burocrático. Por isso, é importante contar com uma empresa especialista no assunto, como a Open Market.

Com mais de 20 anos de experiência, a Open Market conta com um time de especialistas que atua de forma integrada, gerando maior agilidade, dinamismo e confiabilidade nas informações.

Entre em contato e veja como a Open Market pode auxiliar em seu processo de importação e exportação.

Para ficar por dentro das últimas notícias a respeito do comércio exterior no Brasil e no mundo, acompanhe o blog da Open Market e siga nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Open Market – Comércio Exterior

O que é a licença de importação e qual a sua importância para o processo?

10 de agosto de 2022

ver mais

Retirada do valor da capatazia é promulgada pelo decreto 11090/22

5 de agosto de 2022

ver mais

Entenda tudo sobre o que é a balança comercial e como ela funciona

13 de julho de 2022

ver mais

Como funciona o frete marítimo e quais seus tipos? Descubra neste artigo!

6 de julho de 2022

ver mais