BRICS: o que é e como o Brasil faz parte disso? Entenda tudo!

28 de novembro de 2019

Reunir as nações menos favorecidas para tratar de temas que serão benéficos para cada uma parece uma ótima ideia.
Por isso, em 2006, foi criado o BRICS, que tem justamente esse ideal para expandir a economia de cinco países, incluindo o nosso.

Portanto, se você não sabe o que é esse agrupamento ou como realmente surgiu, continue a leitura.
Neste artigo, abordaremos sobre tudo isso!

O que é o BRICS?

Sobretudo, BRICS é um mecanismo de cooperação política entre cinco territórios que estão em desenvolvimento. Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, são países inclusos nesse mecanismo, que visa estabelecer uma relação que ajude a expandir a influência geopolítica de cada um no mundo.

Os países que fazem parte dessa tradição foram unidos por características em comum. Entre eles: economia estabilizada recentemente, inclusão digital, situação política estável, aumento das taxas de produção e exportação, boas reservas de recursos minerais, PIB (Produto Interno Bruto) em crescimento, índices sociais em melhorias etc.

Como foi criada a sigla?

Em 2001, o economista britânico Jim O’Neill, do grupo financeiro Goldman Sachs, formulou o termo BRIC com base nas iniciais das nações consideradas emergentes. Seu objetivo era criar uma maneira que traduzisse o potencial econômico que cada um tinha para superar as grandes potencias em até cinquenta anos.

Cinco anos depois, a aliança entre os quatro primeiros governos que compõe o BRICS passou a ser uma tradição internacional. Somente em 2009, a África do Sul passou a fazer parte do mecanismo, compondo a última letra do atual BRICS.

Quais aspectos já foram tratados?

Até agora os maiores avanços foram relacionados à saúde. Todos os envolvidos investem em uma rede de banco de leite humano – um dos temas no qual o nosso país é referência –, além de pesquisas envolvendo diagnóstico e medicamentos que combatam a tuberculose.

Em questões econômicas, uma das maiores ações foi a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD). O NBD tem como objetivo intensificar o investimento na infraestrutura e desenvolvimento sustentável nas economias. Porém, o banco referente à primeira aplicação está abaixo do que era esperado, com cerca de US$ 600 milhões.

Nesse sentido, destaca-se em segurança as ações voltadas para manifestar medidas contra os crimes transnacionais e internacionais. Entre eles, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, crimes cibernéticos, entre outros.

O que esperar nos próximos anos?

Segundo as projeções do “pai do BRICS”, até o final dessa década, o grupo deve alcançar o PIB de US$ 25 trilhões. Além disso, os economistas afirmam que, se a situação continuar assim, todas as nações do BRICS se tornarão grandes economias em breve. Principalmente a China, que se destaca por conta da sua rápida expansão econômica e número de habitantes.

No entanto, ainda existem desafios que devem ser vencidos pelos representantes desse agrupamento. Como a redução das barreiras econômicas e fortalecimento de uma posição no sistema econômico internacional.

Desse modo, é possível notar que o BRICS é um importante mecanismo político e econômico. O que foi fundamental para intensificar o relacionamento do Brasil com os demais países com economia emergente.

Para saber mais de assuntos como esse e outros relacionados, siga-nos nas redes sociais e tenha tudo em primeira mão. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Saiba o que o comércio exterior espera da última reunião do BRICS

29 de novembro de 2019

ver mais

BRICS: o que é e como o Brasil faz parte disso? Entenda tudo!

28 de novembro de 2019

ver mais

Como será a relação entre China e Brasil em 2020 para o comércio exterior? Saiba tudo aqui!

26 de novembro de 2019

ver mais

Existe uma bolha imobiliária na China? O que ela pode afetar nas suas importações?

5 de novembro de 2019

ver mais